História

A vila de Cernache do Bonjardim, terra que viu nascer O Condestável, D. Nuno Alvares Pereira canonizado São Nuno de Santa Maria, está situada no concelho da Sertã, Distrito de Castelo Branco.

Rodeada por uma das maiores manchas de pinhal da Europa e com um micro clima excelente, os seus habitantes sempre tiveram orgulho de todo o seu glorioso passado, onde a procura de estar sempre na vanguarda do desenvolvimento, quer económico, quer a nível intelectual e cultural, foi sempre uma constante.

Aprendendo com gentes de outras latitudes que durante muitos anos frequentaram os dois estabelecimentos de ensino existentes na vila e que possuíam uma qualidade grande gabarito nacional, O Instituto Vaz Serra e o Seminário das Missões, os cernachenses adquiriram um carácter universalista e de grande sensibilidade espiritual e humana, com horizontes maiores, tornando mais fácil o amparo a todos aqueles que aqui tiveram berço, assim como os que pelas circunstâncias da vida se vieram estabelecer nesta belíssima vila da zona centro de Portugal.

Fruto deste espírito empreendedor surge muito cedo na vila um movimento entre os jovens da terra, de modo a criar um grupo que proporcionasse a prática de futebol. Assim em 1924 que surgiu o Atlético Clube de Sernache que apadrinhado pelo Atlético Clube de Portugal, passou a exercer uma importante acção junto da população na sua vertente cultural e desportiva.

O Atlético estava intimamente ligado ao Grémio Recreativo Nuno Alvares, cuja sede estava situada na Rua Nuno Alvares Pereira, local onde a maioria da população Cernachense se juntava para desfrutar dos seus momentos de lazer e convívio.

O Atlético é assim a primeira equipa de futebol conhecida em Cernache do Bonjardim.

Durante a década de 40 além do Atlético Clube de Sernache, surgiu outro movimento que era constituído principalmente por jovens ligados ao comércio local, que se reuniam apenas para a prática de futebol, que ficou conhecido como “Comercio e Industria”.

Foi por esta ocasião que se iniciou a expansão económica e social da freguesia, fruto dos investimentos que Libânio Vaz Serra efetuou. Com a qualidade do ensino do Instituto Vaz Serra, vieram muitos alunos de todo o país, que ficaram no internato dando uma outra vida a Cernache do Bonjardim. Devido a este carinho que Libânio Vaz Serra tinha pelo ensino, dedicou muitos dos seus recursos humanos e económicos na promoção do desporto criando diversas modalidades desportivas para os seus alunos. O futebol, como o Hóquei em Patins, Atletismo, Ginástica e Andebol

Além do Atlético, Comercio e Industria, ou a Casa do Povo de Cernache do Bonjardim e o IVS, era costume os trabalhadores da companhia “Viação Sernache” juntar-se para jogar futebol, sendo conhecidos pela população como a equipa da “Ferrugem”.

Com o tempo o  Atlético acabou e as outras associações diminuíram a sua atividade, havendo alguma apenas no IVS. Contudo a camaradagem existente entre os trabalhadores da Viação Sernache era bastante assinalável, pois continuaram a realizar encontros de futebol.

Num desses encontros os trabalhadores fizeram mesmo uma canção que refletia essa união e amizade, que cantaram para Fernando Vaz Serra. Ao ver a força e amizade em torno da equipe de futebol, expressa por uma simples canção, ficou comovido ao ponto de se decidir em empenhar-se na criação de uma equipe de futebol.

 

Nasceu assim o Grupo Desportivo Viação de Sernache, fundado a 01 de Agosto de 1948

A principal finalidade na sua origem, seria a de proporcionar aos trabalhadores da Companhia Viação de Sernache, a que estava intimamente ligada, momentos de lazer e desporto ao mesmo tempo que não deixavam “morrer” o futebol em Cernache do Bonjardim.

Este mérito de criar o G D Viação de Sernache pertence a Fernando da Mata Vaz Serra, com a ajuda preciosa de António Oliveira Guerra, José Marques Oliveira e Manuel da Mata Vaz Serra.

Em 28 de Maio 1950 foi inaugurado o Campo Nuno Alvares Pereira, empreitada que deu muito trabalho e custeado apenas pelos habitantes locais, quer em trabalho, quer monetariamente, com destaque pela cedência por empréstimo do terreno para o campo de jogos pela família Moreira.

Este campo era utilizado pelos alunos do Instituto Vaz Serra

Em 1957 o Grupo Desportivo Viação de Sernache, foi convidado para participar na Taça Amizade. A Taça Amizade era um torneio de futebol, que nesse ano envolveu as equipes de Cernache do Bonjardim, Figueiró dos Vinhos, Cabaços, Castanheira de Pêra, Sertã e Pedrógão Grande.

A equipa de Cernache do Bonjardim constituída por jogadores jovens mas aguerridos e com talento, orientado pelo treinador Fernando Lourenço e o adjunto José Marques Oliveira, venceu a Taça Amizade.

Esta vitória inesperada por ser disputada com equipas de maior gabarito, deu mais confiança aos inexperientes atletas nas suas intenções de participar de uma forma mais competitiva, tendo a direção decidido que no ano seguinte iriam participar nas competições organizadas pela Associação de Futebol de Castelo Branco.

Com a entrada pela primeira vez nas competições de carácter oficial em 1958, o Grupo Desportivo Viação de Sernache, demonstrou com enorme êxito que estava preparado para enfrentar equipes mais experientes, pois logo no jogo de estreia empatou na Covilhã com o Covilhanense a três golos. O segundo jogo oficial e o primeiro disputado no Nuno Alvares Pereira, o GDVS defrontou e venceu o Cebolais por cinco a um. Nesse ano a maioria dos jogadores eram pessoal afeto à viação Sernache, mas existiam também estudantes do IVS.

Na época de estreia 1958/1959 além de ter logrado alcançar o 2º lugar do distrital e subido à 3ª Divisão Nacional, o Viação ainda obteve o honroso 5º lugar na 3ª série da IIIª Divisão Nacional, que na altura não dava direito à permanência nessa divisão.

Bastante satisfeito com a prestação da equipe, Fernando da Mata Vaz Serra e a sua direção, tudo fizeram para corresse tudo pelo melhor, inclusive convencendo o Comendador Libânio Vaz Serra a “abrir os cordões à bolsa”. No ano seguinte o GDVS voltou a competir no Campeonato Distrital da 1ª Divisão, tendo nesse ano, 1959/1960, alcançado o título de campeão distrital do campeonato do distrito de Castelo Branco, fruto do bom trabalho de Frederico Barrigana, ex-guarda redes do FC Porto, que tinha realizado um excelente trabalho como treinador no Salgueiros, mas também do enorme apoio que a companhia Viação Sernache deu, pois nesse ano foram buscar jogadores como Araújo e Brilhante ao Caldas e o recentemente falecido o nosso bem conhecido António Martins ao União de Tomar.

Foi também neste ano que proveio do U.Tomar o jogador Figueiredo, que jogou apenas uma época no GDVS, pois transferiu-se no ano seguinte para o Sporting Clube de Portugal, ficou conhecido no meio futebolístico como o “Altafini de Sernache”, facto que deu ainda mais a conhecer o clube a nível nacional.

Alcançado o título de Campeão Distrital de Castelo Branco, e subido novamente à IIIª Divisão Nacional, o Sernache obteve o 2º lugar na 3ª série da IIIª Divisão Nacional.

A subida no ano seguinte, quando depois de mais uns “motores para o Sernache”, designadamente Duarte, Severino e Matiota, o Viação de Sernache obteve a maior glória desportiva da sua existência até ao momento, pois alcançou a IIª Divisão Nacional, chegando ainda a disputar as meias finais do torneio de apuramento do campeão da IIIª Divisão perdendo para o Vila Real.

Um dos “motores para o Sernache” deste ano foi Herculano. Transferido do Sporting Lourenço Marques para o Sport Lisboa e Benfica, foi por este emprestado ao GD Viação de Sernache por uma época, A liderar todo estes jogadores de grande nível, a Direção foi buscar um treinador de grande crédito, o argentino Félix Santiago.

Este sucesso desportivo que culminou com a subida à 2ª divisão Nacional na época 1959/1960, foi considerado em todo o pais um facto extraordinário, visto que uma pequena localidade do interior de Portugal, conseguiu chegar a uma divisão do campeonato português, onde outros clubes com mais recursos, não conseguiram

Em 22 de Julho de 1961, por publicação no Diário da Republica nº 171 III Série, por Despacho do Subsecretário de Estado da Educação Nacional, foi alterado o nome de Grupo Desportivo Viação de Sernache para Grupo Desportivo Victória de Sernache. Salienta-se este facto também por existir a crença nos sócios de que esta mudança de nome, apenas ocorreu depois do 25 de Abril de 1974, quando a verdade é que já participamos na IIª Divisão Nacional com o nome de Victória de Sernache.

A participação na 2ª Divisão não foi nada famosa, pois fomos colocados na Zona Norte, com  clubes tinham outro historial no futebol.

Participou pela 1ª vez na Taça de Portugal, a 26/11/1961  defrontando o Peniche.

 

A queda aos distritais.

Quando a prestação da equipe de futebol começou a correr mal, a queda foi brutal. A prestação do Sernache na 2ª divisão Nacional, foi concluída com um decepcionante ultimo lugar, com apenas 13 pontos, fruto de 5 vitórias e 3 empates.

Despromovido o clube passou directamente para os distritais, mas como era a única equipa inscrita nesse ano no Campeonato Distrital de Castelo Branco, foi considerado campeão e representante do distrito para disputar o Campeonato Nacional da 3ª divisão, isto na época 1962/63.

A participação mais uma vez na 3ª divisão, foi bastante penosa, pois em quase todos os jogos o GDVS era goleado porque Fernando da Mata Vaz Serra tinha abandonado o clube por ter ido para Africa cuidar dos negócios e deixou de haver condições económicas para manter outros jogadores no clube.

Assim durante este período de 63 a 74 não ocorreu nenhum evento desportivo a nível futebolístico que envolvesse o Vitória.

 

O reinicio do Grupo Desportivo

Com a revolução de Abril de 1974, a livre associação e o colectivismo conheceram um grande impulso. Durante os anos de 75/76 ocorriam diversos eventos desportivos, aberto a toda a população. Rapidamente surgiu na ex-companhia Viação Sernache, agora nacionalizada e integrada na Rodoviária Nacional, um movimento no seio dos seus trabalhadores, com a intenção de reactivar o futebol em Cernache do Bonjardim.

Joaquim Monteiro, bateu em todas as portas de modo a que houvesse atletas com disponibilidade para jogarem e também conseguiu “convencer” várias pessoas para que tivessem o difícil e exigente papel de dirigente desportivo.

Armando Ramos também tinha a responsabilidade de organizar a equipa a nível físico e táctico.

Este elenco directivo era composto por Adelino Flora, Mário Simões, Álvaro Rodrigues entre outros

Em 1974, as primeiras reuniões eram realizadas em casas particulares, onde se planeava toda a actividade desportiva da vila, onde o futebol era a modalidade mais participada.

Durante esta de reactivação do futebol em Cernache do Bonjardim, os nossos atletas participavam com o nome de Sporting Clube de Cernache, este nome foi escolhido em grande parte graças aos apoios concedidos em equipamentos pelo Sporting, tendo sido eleita a 22/4/1975 em Assembleia Geral a direcção que fez nascer novamente o que é agora o G D Vitória de Cernache.

Esta direcção manteve-se em funções até ao dia 20/9/1976, pois nesse dia quando da eleição dos novos directores o nome foi alterado para Clube de Desportos de Cernache para conseguir uma maior abrangência e independência do clube.

Nessa Assembleia Geral a direcção além do Presidente Adelino Flora foi renovada com a entrada de Armando Ramos, António Diogo Ramos, Valdemar Silva entre outros, e tinham como principal objectivo a inscrição do clube no Campeonato Distrital da 1ª divisão de Castelo Branco. Nessa Assembleia foram lidos aos sócios e por eles aprovados os Estatutos do Clube Desportos de Cernache e ficou decidido contactar um Notário de modo a proceder á elaboração notarial da respectiva escritura.

O nome Clube Desportos de Cernache, vigorou apenas 3 meses, , decidiu-se na Assembleia Geral que ocorreu no salão do Seminário no dia 4/12/1976, mudar o nome para o que sempre foi na sua essência, O Grupo Desportivo Victória de Sernache.

 

A 1ª direcção da nova era

Havia que eleger portanto nova direcção para o agora renascido G.D.Vitória de Sernache, pelo que em Assembleia Geral que ocorreu no dia 14/1/1977, foram eleitos os primeiros directores que formaram os órgão sociais do clube. Honra para o Presidente, Adelino José Manso Flora, Secretário, Armando Diogo Ramos e o Tesoureiro, António Diogo Ramos na direcção. O Conselho Fiscal era composto como presidente, Cecilio Moreira Teixeira, 1º Vogal, António Manuel Silva Reis e 2º Vogal, Mário Mendes Vaz. Na Assembleia Geral, o Presidente era Manuel da Mata Vaz Serra, 1º Vogal, Valdemar da Conceição Silva, 2º Vogal, António Domingos dos Santos.

Como primeira medida, iniciou-se a angariação e inscrição dos sócios que foi muito participativa. Tendo-se inscrito sócios de toda a parte do País com ligações a Cernache do Bonjardim. Depois completou-se o processo de inscrição da equipe na Associação de Futebol de Castelo Branco,

Além da equipe sénior masculino, existia uma equipe de futebol feminino No entanto o futebol feminino não teve continuidade na Vila de Cernache do Bonjardim, por falta apoio económico

Mas com o empenho e dedicação dos sócios, quer em funções de direção quer como atletas, a muito custo, foram-se promovendo atividades e ações que contribuíram para o ressurgimento do Victória.

 

A Aprovação dos Estatutos

No dia 5/2/1977, realizou-se a Assembleia Geral que aprovou os Estatutos do Clube, que na pratica eram já existentes desde 1948,

 

De novo a participar no campeonato.

A nível desportivo a participação no campeonato distrital não era muito regular nos primeiros anos, pois ficou-se sempre pelos últimos lugares, mas com o tempo e melhoria clara da qualidade dos nossos atletas, os resultados desportivos começaram a surgir.

Nos primeiros anos de actividade desta segunda fase da vida do GDVS, as direcções debatiam-se com alguns problemas na organização, pois o clube não possuía uma sede própria, as condições do campo eram péssimas

A sede do clube era o principal problema da altura, pois para a realização das reuniões da direcção, tinham que ser feitas nas casas dos elementos da direcção. era nesta altura a grande preocupaçao: a sede

 

O futebol estava em expansão a nível nacional.      

Na Assembleia eleitoral de 7/7/1979 surgiu pela primeira vez no clube, 2 listas candidatas á direcção do Grupo, tendo sido eleito a Lista A liderada por Manuel Fernandes com 17 votos contra 3 da Lista B, mas nessa altura da história do clube não havia estabilidade na formação e manutenção dos órgãos directivos.

Este impasse só foi resolvido a Assembleia Geral do dia 28/9/1984, na qual foi nomeada uma Comissão Administrativa composta por Fernando Pereira, Anselmo Martinho, Amadeu Vicente, Constantino Cerdeira, Manuel Vaz Serra, Carlos Ladeiras e Reinaldo Nunes.

 

Objectivo: Novo campo.

Assembleia Geral do dia 22/8/1986, que tinha um objectivo bastante ambicioso, conseguir um novo campo de jogos para o Vitória de Sernache.

Com novo campo rapidamente veio a subida a 3ª divisão mas novamente a descida aos distritais.

Voltamos a 3º divisão para ficar algumas épocas mas em 2003 a queda foi aos distritais e por la permanecemos com dificuldades nos tempos seguintes.

Em 2009 novo ciclo se iniciou com a eleição de direção liderado por António Joaquim e esta é a terceira época consecutiva a disputar provas nacionais na segunda divisão , campeonato nacional de seniores ou campeonato de Portugal prio.

Em atualização

(Autoria de Jorge Coluna)

Um website emjogo.pt